BLOG

Investir em Gestão de Pessoas proporcionará um ROI significativo para a sua empresa?

Sempre que você realiza um investimento na sua empresa, é natural esperar que o capital gasto volte para o negócio em um momento futuro. Investir em Gestão de Pessoas, até mesmo nos tempos de crise, é garantir o fortalecimento das estruturas internas de uma organização. Apesar de ser um termo mais utilizado nas áreas de finanças e marketing, o ROI também pode ser aplicado no setor de recursos humanos, como forma de avaliar e promover quanto valor a área gera para a empresa.

O retorno sobre investimento, ou ROI (em inglês, “return on investment“) é uma métrica utilizada para medir os rendimentos obtidos a partir de um investimento. Assim, o resultado obtido através do cálculo, na prática, mostra quanto a empresa ganhou ou perdeu em relação ao total investido. O ROI é considerado um dos indicadores mais estratégicos para ser aplicado em gestão de pessoas, mas para que ele seja útil, é necessário que o planejamento traçado pela gestão esteja bem encaminhado.

É fundamental que, antes de se pensar no cálculo do ROI, o gestor ou o departamento de RH da organização busque por uma gestão baseada em resultados. Ter a visão de que a gestão de pessoas gera valor dentro da empresa, contribuirá para alcançar um ROI significativo.

Ao mensurar o ROI em RH é possível adquirir maior entendimento sobre quais as atividades que geram mais retorno e quais são aquelas que não estão trazendo benefícios para a empresa. Isso gera insumos para a tomada de decisão sobre ações do setor e o posiciona de forma mais estratégica na empresa. Dessa forma, o mais viável é avaliar tal retorno sobre a Pesquisa de Clima Organizacional, Processo seletivo e Avaliação de Desempenho.

Dessa forma, para que o retorno financeiro (ROI) positivo seja conquistado, a seguir, mostraremos como e por que investir em gestão de pessoas:

Pesquisa de Clima Organizacional: 

Efetuar uma análise do ambiente de trabalho é muito importante para se conduzir um bom negócio. Dessa forma, nela conseguimos mensurar e identificar se os colaboradores compactuam com a cultura da empresa, se eles se sentem motivados a efetuar suas obrigações e se estão satisfeitos e comprometidos com os respectivos cargos que ocupam. A partir de tal pesquisa, é possível encontrar demandas que estão prejudicando o bom andamento da organização e, posteriormente, traçar planos de ação eficientes para alavancar o crescimento dela.

De acordo com o ranking do Great Place to Work de 2019, foram enviadas 2.623 sugestões por organização dentre As 150 Melhores Empresas para Trabalhar no Brasil. Desse total, foram implementadas 2.077 novas ideias por empresa — ou seja, 79% das sugestões enviadas foram colocadas em prática.

Após implementadas, as sugestões renderam um ganho médio de R$ 201 milhões por empresa. Isto é, aqueles que investem na gestão de clima tendem a caminhar rumo à construção de um ambiente propício à inovação e à geração de soluções. Não importa se você tem 5 ou 5000 funcionários, pequenos, médios e grandes negócios podem aumentar o rendimento cuidando do clima organizacional.

Processo Seletivo:

É notório que o capital humano tem uma relevância cada vez maior para o sucesso das empresas, sendo ele uma das principais vantagens competitivas no mundo dos negócios. Recrutar profissionais qualificados, com competências socioemocionais e alinhados com a cultura organizacional da empresa, contribui para a estruturação de equipes de alto rendimento, capazes de entregar melhores resultados.

Através do ROI, é possível mensurar quantitativamente o retorno do investimento realizado para a contratação do novo colaborador em determinado período. Assim, o gestor consegue identificar se o processo está sendo lucrativo ou não, criando planos de ação para intervir de forma a reduzir os custos e aumentar o retorno. Além disso, ele também pode ser um dos indicadores de qualidade do processo, sinalizando se a sua equipe está atingindo ou não as metas estabelecidas.

Ter um Processo Seletivo bem estruturado reduz significativamente o índice de turnover. Esse indicador mede o nível de rotatividade dos profissionais, avaliando se está adequado ou se há necessidade de ajustes. Quando elevado, representa diversos prejuízos, inclusive financeiros.

Segundo a Society for Human Resource Management (SHRM), as empresas precisam gastar o equivalente a 6 a 9 meses de salário do colaborador para encontrar e treinar o novo profissional da vaga. De acordo com a Harvard Business Review, 80% do turnover é causado pelas más decisões na hora da contratação. Para que seu negócio não arque com prejuízos financeiros dessa precedência, invista na ferramenta.

Avaliação de Desempenho:

É uma ferramenta utilizada para quantificar o trabalho de colaboradores ou setores e, através dos resultados obtidos, é possível trabalhar nos pontos considerados deficientes para que se adequem e alcancem a produtividade desejada. A sua aplicação é de alta relevância, pois faz com que a sua empresa tenha maior clareza sobre as demandas que estão enfrentando, além de fazer com que os colaboradores entendam, com precisão, se estão tendo um bom desempenho no cargo ocupado ou se precisam melhorar em determinados pontos. Essa é uma grande oportunidade, visto que a empresa consegue contar com profissionais mais preparados, podendo auxiliar para desenvolver o potencial de cada um sempre que necessário, impactando nos resultados da organização, de modo geral e gerando maiores lucros.

Investir na gestão de recursos humanos da sua empresa é um dos principais pilares para se alcançar uma boa administração. No cenário competitivo e dinâmico em que vivemos, é preciso encontrar estratégias e ferramentas eficazes para se diferenciar e posicionar a sua marca como um player relevante e influente no mercado.

Por fim, é de suma importância enfatizar que o departamento de recursos humanos e o financeiro da sua organização precisam estar integrados para que a métrica ROI seja bem aplicada nos exemplos mostrados acima. Portanto, deve haver um alinhamento entre expectativas e objetivos, estabelecendo o que a empresa deseja obter em curto, médio e longo prazo. Realizar uma gestão de metas e um plano de ação em conjunto altamente estruturados, em que ambos os setores tenham importante participação na construção de resultados, potencializará a conquista do tão esperado retorno financeiro.

Por Beatriz Nogueira, graduanda em Administração de Empresas pela Fundação Getúlio Vargas e Coordenadora de Marketing na Consultoria RH Junior.