BLOG

Como Mensurar os Impactos da Gestão de Pessoas em uma Empresa?

A nossa sociedade atual é pautada por índices, estatísticas e metas a serem batidas. Essa cultura em uma empresa é algo muito positivo para seu crescimento, desde que leve em consideração todos os fatores que contribuem para o sucesso. As pessoas são, sem dúvidas, o principal ativo de uma empresa sendo responsáveis pelo êxito dela. Porém, como juntar essa cultura de metas e números para uma gestão mais eficiente de seus funcionários?  

“Números não mudam pessoas, pessoas mudam números”. Essa pequena frase de efeito, só reforça a ideia de que os colaboradores são responsáveis pelo sucesso ou fracasso financeiro de uma empresa. A área de Recursos Humanos de uma empresa pode até não gerar lucro de forma direta, – afinal, não é responsável pela venda ou atuação no core business da corporação – porém, garantir qualidade e eficácia no trabalho de todos os funcionários é de extrema importância. A questão que surge, portanto, é de como mensurar o impacto que a área de Recursos Humanos tem causado na empresa?  

Seguindo a tendência de metas e indicadores, trazemos aqui 5 categorias de métricas para mensurar esse impacto da área de Recursos Humanos na empresa. 

1.Satisfação dos funcionários 

Visa mensurar a satisfação do funcionário com a empresa e sua atividade. A satisfação do colaborador é importante, pois, através dela, garante-se o alinhamento com a cultura da empresa e também um maior envolvimento com a produtividade de seu trabalho. Para mensurar a satisfação de seus funcionários recomenda-se uma Pesquisa de Clima Organizacional para que eles digam o quão satisfeitos estão. Outra possibilidade é de mensurar a porcentagem de faltas, uma vez que funcionários insatisfeitos e desmotivados tendem a ter uma maior porcentagem de ausência. 

2. Retenção dos talentos 

Esta categoria visa avaliar a saída dos funcionários da empresa e suas consequências. Um turnover alto é um indício de alerta para a organização. Logo, recomenda-se um constante monitoramento da taxa de turnover. Porém, é necessário sempre entender o porquê de cada saída e também os impactos financeiros causados. Para esse último ponto, leva-se em consideração o dinheiro desembolsado para a saída do funcionário, os custos para a contratação de um novo funcionário, assim como todo o treinamento deste. 

3. Receita da empresa 

Essa categoria visa mensurar a qualidade de suas contratações, ou seja, mostrar a eficiência de seus funcionários para saber se você está empregando as pessoas certas em sua organização. Para mensurar este ponto, é possível avaliar a receita total pelo número de funcionários, quanto maior for esse número, melhor, pois mostra-se que precisa-se de menos funcionários para atingir esses valores. Na imagem abaixo é possível observar a receita por funcionário, em dólares, de grandes empresas de tecnologia: 

Gráfico que demonstra as empresas com melhor relação entre receita e funcionários. A empresa com melhor relação é a Apple, seguida pela Google.

Outro ponto interessante é de mensurar o lucro da empresa pelo número de funcionários, pois assim leva-se em consideração o quanto a empresa desembolsa pelos funcionários.  

4. Recrutamento de profissionais 

A seleção de novos talentos para a empresa deve conseguir recrutar, de forma eficiente (curta duração e baixos custos) profissionais qualificados e alinhados com os valores da empresa. É necessário trazer pessoas eficientes para a empresa, como visto na categoria anterior, mas também que o processo de recrutamento desses talentos seja ágil, competente e com os menores custos possíveis. Logo, para analisar seu processo de contratação, é interessante calcular o tempo médio de contratação assim como o custo médio por contratação.   

5. Produtividade dos colaboradores 

A ideia desta categoria é definir os estágios em que cada funcionário da empresa está. Visa-se o desenvolvimento e crescimento dos funcionários e consequentemente o crescimento da empresa. Para acompanhar a produtividade de seus funcionários é interessante utilizar a Matriz 9box Desempenho X Potencial que vemos abaixo, na qual, deve-se enquadrar cada funcionário em um dos quadrantes.  

A partir disso, deve-se olhar para a empresa como um todo, observando a porcentagem de funcionários em cada quadrante em cada cor. Para essa classificação, espera-se que os funcionários sejam avaliados conforme as atividades que foram designados a fazer e as ações que os cabem. Para avaliar o desempenho, propõe-se uma Avaliação de Desempenho. Espera-se que cada vez a empresa tenha mais talentos eficientes (quadrante verde) e menos funcionários ineficientes (quadrante cinza).  

Por fim, é possível concluir que essas métricas trazem números que, quando analisados e comparados, proporcionam informações para uma melhor gestão de pessoas de uma empresa. Dessa forma, pretende-se alcançar o constante desenvolvimento de cada funcionário, sempre levando em consideração a prosperidade financeira e de crescimento da empresa. Para uma análise mais aprofundada, recomenda-se um acompanhamento desses dados assim como uma comparação com dados passados. Visa-se, portanto, que essas métricas ajudem a potencializar o capital humano da organização, a fim de impactar positivamente o crescimento da empresa como um todo.  

 

Por Camila Maluf, graduanda em Administração de Empresas na Fundação Getúlio Vargas e Diretora de Marketing na Consultoria RH Junior.