BLOG

Alavancar a Startup – Necessidade de uma Cultura de Performance

Os modelos de negócios são mais fáceis de serem interpretados, as rodadas de investimentos são mais poderosas, além de perderem e ganharem dinheiro rapidamente, assim são conhecidas as empresas denominadas de unicorns, ou seja, startups que crescem rapidamente e que são avaliadas em 1 bilhão de dólares, ou cerca de 4 bilhões de reais. Segundo a CbInsights, em janeiro de 2019, o número de unicorns ultrapassou a margem de 300 empresas em todo o mundo. Instaladas normalmente na região Vale do Silício, essas empresas são cercadas de blitzscaling, conceito criado por Reid HoffmanReid Hoffman, co-fundador do LinkedIn, que divide as empresas em cinco estágios de expansão, sendo os primeiros momento da criação do produto e das primeiras tentativas de vendas. Logo depois, inicia-se a busca de novos talentos para auxiliar o crescimento da startup e o foco na operação. Posteriormente, Reid Hoffman diz que a principal tarefa do empreendedor é reter um time assertivo com os valores da startup, e para que se organizem em metas, é necessária a criação de uma cultura organizacional.

Com esse artigo, portanto, queremos entender como essas unicorns determinam suas propostas com a criação de valores e culturas para o seu time. De acordo com Hoffman, todos os estágios precisam de uma gestão de pessoas que se desenvolva rapidamente e consolidadamente, ou seja, é essencial estruturar uma rede de colaboradores eficiente. Para tanto, buscamos interpretar quais são as principais características de uma gestão de pessoas potencial para uma startup em crescimento exponencial, que ao invés de estabelecer apenas ferramentas formais de recursos humanos, estão preocupadas em alcançar um ambiente de alta performance.

O principal fator que alavanca as competências para a gestão de excelência de uma startup é o enaltecimento de uma cultura sólida, pautada em valores e propósito. No site da Nubank, por exemplo, uma das unicorns brasileiras, a cultura é retratada como “uma cola que une todos os diferentes times. É ela que garante que todos estejam alinhados e saibam como agir para atingir um único objetivo em comum.”, e dessa maneira, a Nubank consegue estimular os funcionários em produzirem metas claras e objetivas, de acordo com a potencialidade de cada área e as respectivas funções.

Ademais, o favorecimento de uma cultura equiparada com a melhoria constante dos colaboradores é fundamental para o progresso contínuo da área. Portanto, além de detectar uma necessidade de melhoria de um funcionário, também é essencial realizar o exercício de orientação para o desenvolvimento dos indivíduos. Essa situação pode ser comparada com o Uber, a segunda unicorns mais bem avaliada mundialmente segundo a CbInsights, que notifica os motoristas sobre suas avaliações por “estrelas”, mas que poderia ampliar essa avaliação deixando para o motorista orientações sobre como aprimorar o serviço ao cliente. Essa dinâmica é conhecida como feedback 360°, por conseguir determinar quais as melhorias e condutas são importantes para que o objetivo seja atingido.

Para que seja possível entender procedimentos importantes para a ampliação da gestão de pessoas de uma startup que está com dificuldades em estruturar essa área, estipulou-se neste artigo, por meio de pesquisas, algumas vertentes importantes;

 

  1. Criar, estruturar, intensificar, dimensionar e manter um valor – além de estabelecer um valor para a startup, é necessário que esse valor se intensifique e esteja pautado claramente e objetivamente entre os colaboradores e parceiros, para que este seja mantido e reforçado frequentemente.
  2. Missão, visão e propósito – esses aspectos auxiliarão, por exemplo, no entendimento de como cada funcionário se reconhecerá com os objetivos da startup, e assim, conseguirão “vestir” a camisa e acreditar em um “sonho grande”.
  3. Estratégias, métricas, processo e decisões transparentes – tomar decisões transparentes depende da análise das realizações anteriores da empresa e das potencialidades. Portanto, a métrica é uma ferramenta importante para mensurar o desempenho das estratégias realizadas anteriormente. Com isso, a decisão está mais próxima dos colaboradores e por esse motivo, torna os times mais motivados.

 

Além disso, é importante ressaltar a burocracia pode se tornar um empecilho para uma startup em crescimento, e por esse motivo, a formalização em excesso pode dificultar o entendimento entre colaboradores e lideranças. Por esse motivo, construir um ambiente orgânico talvez possibilite um contato mais fácil, diário e produtivo entre o gestor e o funcionário.

As startups, portanto, precisam atentar-se a àrea de recursos humanos, já que em uma startup em expansão, todos do time possuem relevância e participação nos estágios de desenvolvimento. Ou seja, as pessoas precisam ser treinadas para a resolução de problemas e para a tomada de decisão. Dessa forma, portanto, capacitar os funcionários e internalizar uma cultura organizacional são fatores que tornam a startup escalável.

Por Lucas Dantas, graduando em Administração de Empresas na Fundação Getulio Vargas e coordenador de Administrativo-Financeiro na Consultoria RH Junior.