BLOG

Como a Gestão de Pessoas Impacta Empresas com Dificuldades Financeiras?

Enquanto alguns veem a crise como a parada final de seu negócio, outros veem um ponto de partida para uma evolução sem igual. Essa segunda mentalidade é a que motiva gestores de uma empresa a continuar na luta pelo sucesso em tempos de dificuldade. Acredita-se que essas situações são oportunidades de reflexão e de alavancar o crescimento da organização.

Agora, como passar essa mentalidade para todos os colaboradores? Como motivá-los a continuar batalhando mesmo quando a empresa está visivelmente passando por turbulências que podem causar seu fim? E como a gestão de pessoas pode contribuir para organizações que vivem em tais condições?

Para responder estas perguntas, nós da Consultoria RH Junior fomos atrás de Thays Armanda, Gestora de Recursos Humanos da empresa Nayumi Cogumelos, a qual presencia os aspectos de uma crise econômica na organização onde trabalha. Thays visa impactar e contribuir na gestão de pessoas da empresa e afirma que:  

“O responsável pelo RH precisa ter a capacidade de avaliar o real momento da organização e entender como cada parte está funcionando e como pode contribuir nesse contexto”

Tendo isso em mente, a gestora cita três pontos cruciais para uma gestão personalizada para empresas que passam por essas dificuldades financeiras:

  1. “Mostrar para os colaboradores que existe uma luz no fim do túnel”

    É importante ressaltar que o papel principal do setor de Recursos Humanos de uma empresa é, e sempre será, garantir o alinhamento entre os objetivos da empresa e de seus funcionários. Assim, o gestor assume a responsabilidade de mostrar para os colaboradores que, mesmo que a empresa esteja passando por um período de instabilidade e incerteza, o objetivo final das duas partes ainda continua sendo o mesmo: o sucesso. É nesse contexto que se torna essencial uma figura dentro do RH que inspira, que passa confiança que qualquer obstáculo pode ser vencido por uma equipe que exala união e determinação.

  2. “Criar ou corrigir rotas”

    Vimos no tópico anterior sobre a importância de motivar os colaboradores, porém também é crucial que essa motivação tenha um direcionamento que vá realmente trazer os resultados esperados. Em momentos de crise, o RH tem que assumir um papel estratégico que, através de muita autorreflexão, deve ter um olhar crítico para examinar quais procedimentos que levaram a empresa a tal ponto e quais têm o potencial de impulsioná-la a alturas nunca vistas.

  3. “Revelação de Talentos”

    Com esses caminhos projetados e com os funcionários motivados, os resultados podem ser impressionantes mesmo a curto prazo. Quando um colaborador passa a ter o sentimento de segurança que esses passos trazem, ele se torna cada vez mais propenso a querer o melhor para seu local de trabalho, pois ele deixa de ser apenas um meio para seu objetivo pessoal e passa a ser o objetivo em si. Assim, pode ser surpreendente os talentos que florescem de situações tão adversas pois o funcionário passa a ver a crise como um obstáculo o qual ele certamente consegue dominar se mostrar do que é capaz.

Portanto, o papel da gestão de pessoas é essencial, principalmente para empresas em dificuldades financeiras, pois tem o potencial de não só superar a crise atual, mas também direcionar toda a organização a um caminho de desenvolvimento contínuo. Isso porque, como afirma Thays, “a crise é um momento de oportunidades”.

Por Carolina Kawakami, graduanda em Administração de Empresas na Fundação Getulio Vargas e Coordenadora-Plena na área de Recursos Humanos na Consultoria RH Junior.