Processo Seletivo: o cartão de visitas das empresas

“Mais do que buscar resultados, tenha uma cultura voltada para as pessoas. Elas, para mim, são o ativo mais importante de uma empresa.” Abílio Diniz – co-fundador do Grupo Pão de Açúcar -, com essa frase, reitera a importância dos colaboradores dentro de uma organização: são eles que têm o potencial de fazer a empresa da qual participam prosperar e se destacar diante do atual mercado, que é extremamente competitivo. Desse modo, é necessária a contratação de grandes talentos e, assim, a estruturação de um bom processo seletivo. Entretanto, essa ferramenta não se resume apenas ao processo de contratar pessoas, mas também ao de promover a imagem da empresa que a aplica.
Durante as etapas de um processo seletivo (PS), os responsáveis por aplicá-lo representam a sua empresa e, dessa forma, refletem uma imagem dela aos candidatos. Fatores como escolha de vocabulário, tom de voz e pontualidade prospectam o profissionalismo da instituição; aspectos como o modo de se apresentar, motivação, expressão facial e vestimenta podem transmitir seus princípios; e, a atmosfera do local de realização do PS – a exemplo de luz, barulho e temperatura -, uma ideia de como é o seu ambiente de trabalho. Em uma etapa de entrevista, por exemplo, o avaliador cumprimentar o candidato com um aperto de mão e sorrindo pode indicar um ambiente de trabalho agradável e mais pessoal.
Tendo isso em vista, caso o recrutador apresente algum comportamento não condizente com a empresa de que faz parte, acaba propagando uma imagem dela que não é real. Como consequência, pode levar à contratação de um colaborador que não entende como são, de fato, o funcionamento e os valores da empresa. Ademais, se essa compostura fosse negativa, haveria a possibilidade de algum candidato disseminar uma má experiência a outras pessoas, prejudicando a imagem da corporação.
Portanto, não é exclusivo do requerente à vaga na empresa um bom preparo anterior ao processo seletivo. Assim como Abílio Diniz afirmou que, ao se lançar uma empresa, “é importante sempre questionar qual o seu propósito, quais são os seus diferenciais…”, é de extrema relevância que os responsáveis pela aplicação do PS estejam totalmente alinhados com os princípios da organização, apresentando conduta consentânea a eles.
Por conseguinte, é essencial que toda empresa elabore esse procedimento com seriedade, a fim de que os recrutadores estejam bem preparados e alinhados com os propósitos e com os valores da empresa que representam, pois o processo seletivo funciona como o seu cartão de visitas.

Por Raquel Barrios, graduanda em Administração de Empresas pela Fundação Getúlio Vargas e trainee de Recursos Humanos da RH Junior Consultoria.