Os limites da vida pessoal e profissional

Com a correria do dia a dia, é difícil definir um limite entre a vida pessoal e profissional. Isso porque o mundo corporativo está extremamente ligado ao nosso mundo particular. Além disso, com os avanços tecnológicos, estamos constantemente conectados e expostos a milhares de informações, tornando complicada a existência de um divisor de águas.

Uma pesquisa realizada pelo Instituto Ipsos apontou que os brasileiros estão entre os que mais misturam a vida pessoal e profissional, o chamado “blurring”. O estudo mostrou que 74% dos brasileiros carregam seus computadores, smartphones e tablets durante as férias ou fins de semana, para cumprir expedientes e atividades, o que consequentemente, na maioria dos casos, geram stress e desconforto, uma vez que não há um equilíbrio.

Para o especialista em administração de tempo e produtividade, Christian Barbosa, fundador da empresa Triad Consulting, devemos colocar na balança até que ponto o blurring é vantajoso: “O trabalho é infinito, ele sempre vai estar lá com coisas novas, oportunidades e demandas inesperadas. Em compensação, nosso tempo é finito. Ou seja, se você não limitar seu trabalho ele vai roubar todo o tempo que você tem. São proporções totalmente díspares. A melhor lição que aprendi é estipular uma meta finita de dedicação de tempo ao trabalho, aprender a controlar a ansiedade e saber que o mundo não vai acabar caso um relatório seja revisado amanhã ao invés da madrugada de hoje.”.

Ser um workaholic pode ser absolutamente benéfico para um plano de carreira promissor. No entanto, muitas vezes nem nos damos conta do quanto estamos submersos no ofício. O que está em questão é: Qual o seu foco?

Nós nunca conseguiremos ter apenas uma agenda de trabalho e outra de lazer, isso porque ambos estão extremamente vinculados, afinal são etapas essenciais pelas quais todos nós iremos passar. Porém, o que devemos aprender é como administrar melhor o nosso tempo, criando uma agenda da vida.

Por Natália Lee, graduanda em Psicologia no Mackenzie e gerente de Recursos Humanos na RH Junior Consultoria.