Olhar estratégico para a remuneração

Em mercados cada vez mais competitivos, a diferenciação de mercado tornou-se um requisito para a sobrevivência das empresas em longo prazo, porém, ainda não é visto pelos profissionais o potencial de práticas de gestão de pessoas, como a remuneração, para gerar o aumento de desempenho das empresas. Assim, pretendo esclarecer em meu texto como a remuneração voltada para a estratégia da empresa pode elevar a produtividade desta e reduzir seus custos.

Toda a base das empresas são pessoas, de forma que quando estes se desligam, geram a instabilidade até que novos colaboradores sejam contratados, treinados e adquiram experiência, o que custa à organização tempo, esforço e dinheiro. Para evitar isso, os gestores de recursos humanos devem olhar para os salários de maneira estratégica para mudar a organização e não como custos ou despesas.

Com isso, é necessário avaliar a relevância de cada funcionário baseando-se na experiência e no desempenho de forma a identificar os talentos. Após isto, devemos olhar o mercado de trabalho e para cada função analisar a quantidade paga em média, máximo e mínimo. Com esses dados, a empresa pode utilizar seus salários para reter os colaboradores que mais impactam na organização gerando o aumento de resultados.

Além disso, a utilização de salários diferenciados é uma forma de reduzir custos. Isso ocorre, pois, com a maior retenção de funcionários, a empresa economizará em processo de seleção, treinamento e custo de demissão. As despesas exigidas com demissão chegam, no Brasil, a custar de 12 a 18 salários recebidos pelo antigo colaborados.

Outro fator relevante quando se procura aumentar a produtividade do capital humano é motivar os trabalhadores, que a partir dos incentivos certos podem gerar impactos positivos para as organizações. Para isso, devem atrelar o alcance das metas e comportamentos desejados realizados pelo indivíduo ao aumento de benefícios e remuneração. Com essa prática, os colaboradores se sentem reconhecidos pelo esforço, o que pode levar a repetição dos comportamentos desejados e a ultrapassar as metas no próximo mês.

Porém, a mudança da remuneração deve ser realizada com cuidados para fazer com que os funcionários entendam de forma clara e sintam que é justa, pois, caso o contrário, pode gerar o descontentamento dos funcionários que se desmotivarão, levando à possível saída destes.

Contudo, a remuneração é uma ferramenta estratégica da empresa que, se bem trabalhada, levam à melhoria de desempenho desta.

Por Marcelo Setubal, graduando em Administração de Empresas pela Fundação Getulio Vargas e ex-membro da RH Junior Consultoria.