Como Combater a Falta de Comprometimento de sua Empresa

Um dos maiores obstáculos a ser enfrentado pelos gestores de uma organização é a falta de comprometimento dos funcionários. Frequentemente são aplicadas medidas de reforço da rigidez na tentativa de combater esta questão. Entretanto, esta não é a melhor alternativa. Um dos melhores caminhos é através da aplicação de um bom Plano de Salário e Benefícios e de um bem definido Plano de Remuneração Variável. Isto porque, a implementação de incentivos financeiros que provém destas ferramentas, resultam no aumento motivacional, impactando positivamente o comprometimento.

De acordo com conceitos da Análise Comportamental de B.F Skinner, para mudar-se o padrão de comportamento de um indivíduo não são suficientes apenas estímulos negativos (como correção disciplinar, punições, etc) quando há uma atitude indesejada (um erro, por exemplo). É necessário também utilizar estímulos positivos no momento que o colaborador fizer o que é desejado. Como, por exemplo, um bom trabalho. Isto se chama “Modelagem”, que é essencialmente “modelar” o comportamento atual de um sujeito à outro, desejado por você.  Alguns gestores ou executivos podem deduzir que o salário deveria ser o suficiente para o funcionário produzir. Entretanto, isto só os estimula a manter o emprego e fazer o suficiente para não perdê-lo. Para aumentar o comprometimento é necessário algo que não só os estimule a serem empregados, mas algo que os influenciam a se empenhar. E é aí que ferramentas como Plano de Salários e Benefícios ou Remuneração Variável entram em ação.

Para esclarecer a terminologia, um Plano de Salários e Benefícios é uma forma de valorizar os funcionários, através de um plano de remuneração para os colaboradores. São determinados critérios para definição dos salários adequados às médias do segmento e às possibilidades de pagamento da empresa em questão. Além de serem elaboradas políticas de benefícios, como por exemplo: Vale Transporte, Vale Alimentação, Plano de Saúde, etc.

Já a Remuneração Variável consiste em uma recompensa variável, baseada no alcance de metas e na performance dos funcionários. Então se, por exemplo, seu funcionário bater uma meta ou tiver uma boa performance, ele será reconhecido por isso. Exemplos são os bônus monetários, que complementam seu salário atual, ou bonificações não monetárias, como jantares, viagens, etc. E quando não apresentam um bom rendimento, você pode subtrair uma certa quantia deste seu possível bônus. Mostrando que a falta de produtividade não é passada despercebida.

Com a Remuneração Variável, você estará ativamente reforçando o empenho e o trabalho que vai além do que é somente esperado ao recompensá-los quando eles fazem seu dever. Já com o Plano de Salários e Benefícios você estará cultivando a excelência e o esforço, ao estimular seus funcionários com benefícios que atingem diretamente sua qualidade de vida dentro e fora da empresa. Especialmente porque ao garantir um bom nível de conforto enquanto empregado, você não só reduz uma possível perda de funcionários, mas a valorização de seus cargos e de seu ambiente de trabalho, os estimulando à desejarem, não só a ter um bom desempenho, mas a continuamente se esforçar e se empenhar.

Assim sendo, o uso destas ferramentas citadas acima vão impactar diretamente a motivação dos seus colaboradores para trabalhar mais e trazer melhores resultados. Gerando então, mais comprometimento com a sua empresa.

Um bom exemplo prático da aplicação desta ferramenta está no Case de 2009 da Consultoria RH Junior:

http://rhjunior.com.br/works/remuneracao-variavel-como-incentivo-para-crescimento-empresarial-empresa-de-seguros/

Por Pedro Lima, graduando em Psicologia no Mackenzie e Consultor Pleno na Consultoria RH Junior