Características Para o Sucesso de um Líder na Próxima Década

O século XXI é marcado por grandes modificações e adaptações nos diversos setores da sociedade atual. A economia mundial é marcada por uma instabilidade, o lado ambiental está em constante degradação, o planeta está polarizado em questões políticas e ideológicas, e por fim, o âmbito social se encontra em desigualdade e em conflito devido a preconceitos xenofóbicos, raciais e de gêneros. Porém, mesmo com esse panorama geral, é impossível prever com precisão como serão e o que acontecerá nos próximos anos e décadas. Nota-se, entretanto, uma tendência a um contínuo aumento da globalização, a um maior desenvolvimento de tecnologias e também de um fluxo mais veloz de informação e inovação. Como os líderes devem reagir e se adaptar à essas mudanças para ser um líder de sucesso na próxima década?

Muitas pessoas ainda possuem uma visão ultrapassada sobre um bom líder. Essa superada interpretação se baseia na ideia do líder ser um super-herói onisciente, que está sempre presente, comandando e cuidando de seus seguidores. A nova percepção sobre um líder do futuro é de equilíbrio, ousadia e que vise o bem-estar de sua equipe, visto que são essas pessoas que permitirão um maior rendimento, lucratividade e sucesso. Um olhar mais macro é requisitado, assim como agir o tempo todo e não somente perante crises.

É possível resumir em três principais características e qualidades que um líder do futuro de sucesso deve desenvolver:

A primeira é que um bom líder deve antes agir do que reagir. Ele não deve esperar acontecer para tomar uma atitude, e sim se prevenir do que possa acontecer no futuro. Líderes ficam nas encruzilhadas, moldando seu futuro e não apenas reagindo e ele.

A segunda característica está relacionada com a diversidade. As relações com outros líderes e membros são fundamentais para o trabalho e sucesso de um líder. Porém, qualquer tipo de diferença (biológica, física, funcional, política, social, etc) pode ser empecilho para uma boa e saudável relação. Pelo contrário, o líder do futuro deve enxergar essa heterogeneidade como algo positivo pelo fato do surgimento de novos pontos de vista e de ricos debates.

A terceira e última característica pode ser definida como a coragem para abandonar uma prática que o fez bem-sucedido no passado. Não é fácil deixar ir algo que trouxe sucesso e reconhecimento, porém é necessário visto que a comodidade não é algo benéfico em tempos atuais. Ficar dependendo de algo que não faz mais sentido no presente não é se atualizar as mudanças ocorridas e muito menos correr algum tipo de risco. Como já dito anteriormente, em uma sociedade em que tudo é dinâmico e a concorrência só aumenta, é necessário inovar. Porém, mais do que inovar, é primordial sustentar e resistir às críticas que irão surgir. Afinal, muitos dirão que esta ideia é ingênua, imprudente ou apenas irreal. É justamente nesse ponto que um líder mediano se torna um líder acima da média.

Por fim, importante ressaltar que um bom líder nos tempos atuais deve estar preparado não para o previsível conforto de ontem, mas sim para a realidade de hoje e para todas as possibilidades desconhecidas do amanhã. Ele deve confiar em sua equipe, utilizando-se dessas características descritas acima não somente para atitudes perante clientes, mas com todos os envolvidos na situação e no objetivo.

Por Camila Maluf, graduanda em Administração de Empresas na Fundação Getulio Vargas e Coordenadora de Marketing na Consultoria RH Junior.